Anjos e Demônios

Créditos: Google Imagens

Créditos: Google Imagens

Não é nenhuma novidade o fato de eu amar o Dan Brown, tanto que já comentei isso aqui no blog. Talvez por este motivo ou talvez por saber que o novo filme com direção do Ron Howard (gênio) inspirado no romance “Anjos e Demônios” teria novamente no papel do professor Robert Langdon o melhor ator de todos os tempos ever Tom Hanks (na minha opinião, claro), eu estava louca pra ver o filme… Eu e o restante da população é fato! Queria ter ido ao cinema no fim de semana, mas quando minha amiga Simone (querida, vai fazer níver dia 24 eeeee) comentou comigo que foi no Cinemark do Park Shopping Barigui (melhor cinema no melhor shopping de Curitiba, sem discussão) e a fila pra assistir o filme era entre outras palavras quilométrica, tanto que o pessoal comprou ingresso sábado pra ver o bendito no domingo… Tive uma idéia genial, vamos ao cinema na segunda à noitinha? Não vai ter tanta gente, a galera vai estar na faculdade ou voltando do trabalho então vai estar tranquilo… Faltei aula (mea culpa) e cheguei no shopping antes do Ti pra comprar ingresso. Às 18 hs. E só tinha ingresso pra sessão de 20:30!!!!!! Como tinhamos muuuuuuuito tempo, fomos dar uma volta no shopping, ver vitrines e enfim, no horário da sessão compramos o combo 1 litro e meio de Coca+pipoca com dose extra de manteiga (amo) e entramos na sala e… lotada!!!!! Gente por todos os lados!!!!!! Apenas algumas míseras cadeiras na fila do gargarejo… Acredite se quiser, Curitiba inteira teve a mesma idéia genial que eu de ir ao cinema na segunda-feira à noite… Fazer o quê?

Massssss, mais que valeu a pena… O filme é lindo, a trilha sonora é impecável, Tom Hanks pra variar se superando a cada dia que passa, quanto mais vejo filmes dele, mais acho que ele é o melhor… Foram cortadas algumas partes do filme, por exemplo, não foi dada tanta ênfase à morte do cientista Silvano que no livro é pai da Vittoria Vettra, a mocinha do romance, mas se for levar em consideração as quase 2 horas e meia de filme, acho que isso acaba sendo irrelevante… O cenário é alucinante e quem for assistir se prepare, por que é ação do começo ao fim do filme… Na minha opinião, excelente… Claro que no livro, Dan Brown te põe no lugar dos personagens e te leva junto na história toda e nunca, jamais vou discutir aqui que prefiro mil vezes livros do que filmes, mas mesmo assim, achei o filme excelente… Pra quem curte Dan Brown e Tom Hanks, como eu, é um prato cheio e vale muito a pena o sacrifício.

Pra variar chorei (oh, novidade) nem tanto pelas cenas, mas pela trilha sonora que é linda demais… Corram pro cinema!!!!!!

Bjs e até a próxima!

Published in: on 20/05/2009 at 16:06  Comments (2)  
Tags: , , ,

O tempo não pára

Créditos: Google Imagens

Créditos: Google Imagens

Eu tenho um mega defeito que nasceu comigo e provavelmente vai morrer comigo… Eu sou “avoada”… Tenho uma excelente memória: faço contas de cabeça, lembro de datas e números de telefone, fórmulas matemáticas, cálculos complexos, nomes, lugares e principalmente cheiros, mas me perco com muita facilidade tanto nas minhas palavras quanto em pensamentos… É muito normal eu estar conversando com alguém sobre algum assunto e no meio do caminho começo a falar de outro que me lembrei e que por qualquer motivo tenha alguma semelhança. A questão é que a pessoa ainda está no assunto anterior e fica literalmente boiando com tudo. Eu sou assim, isso me pertence… E eu não sei de onde isso tudo surgiu… Falo nisso porque venho pensando demais no assunto… Por exemplo, no domingo passado, eu e o Ti e mais um casal de amigos muito queridos fomos no “Parcão“, que é um parque que fica atrás do Museu Oscar Nienmeyer, o “Museu do Olho” e várias pessoas se encontram neste local pra levar seus cachorros pra passear e brincar com outros cães. É como uma feira de animais com entrada free… Eu sou apaixonada por animais, principalmente cachorros. Sinto muita falta de ter um animalzinho em casa, mas isso é um assunto a parte… Voltando ao meu raciocínio anterior (viram? quase me perdi agora…) o local é mágico e por várias vezes observando tanto as pessoas quanto os animais eu me perdi em pensamentos que me fizeram viajar beeeem longe! Eu acredito em reencarnação e um dos meus pensamentos foi: Deus, que felicidade desses animais, que alegria tão espontânea, será que foram felizes assim em outras vidas? Olhei ao redor e vi alguns prédios e fiquei imaginando o que estariam aquelas pessoas fazendo… algumas comendo, outras dormindo, brigando, chorando, sorrindo, fazendo amor… “Você não acha Nin?” – “Hã, oi… desculpe, o que foi que você me perguntou mesmo?” Minha amiga havia comentado alguma coisa e eu perdida com meus pensamentos…

Eu sempre penso nisso… é só eu estar com a cabeça meio tranqüila (já aderiram a reforma ortográfica? não sei se ainda se usa o trema nessa palavra) que literalmente viajo… Fico imaginando quantas pessoas nesse mundão de meu Deus estão nascendo neste exato momento? Ou lutando pra viver num leito de hospital? Ou não teve a oportunidade de chegar a um hospital? Ou estão morrendo? Quantas pessaos estão vencendo neste momento? E quantas estão sendo derrotadas? Às vezes por coisas que são superiores a elas? Quantas estão passando fome? E quantas estão suando bicas na academia pra perder os indesejáveis quilinhos a mais? E Deus, o que estão fazendo os governantes de estado neste momento? Gastando o dinheiro público ou se reunindo em pról de alguma idéia pra sanar de vez esta crise? Quantos estão traindo suas esposas e maridos? Quantos estão dando seu primeiro beijo? Tendo sua primeira vez? Quantos tem a sorte de ser com alguém que ame? Quantas crianças perdendo sua virgindade, sendo violentadas por um estranho? Ou pior, pelo próprio pai ou irmão? Quantas pessoas levando balas perdidas sem saber nem de onde veio? Quantas pessoas neste momento estão desistindo de lutar e estão acabando com a própria vida? Todos estes pensamentos duram segundos, mas se repetem consequentemente em minha memória… Confesso que já fui bem mais preocupada com os problemas do mundo… Hoje em dia tenho pensado um pouco mais em mim, tenho tido um pouco mais de orgulho… Meu pai diz que não vou salvar o mundo com as minhas idéias, mas não sou tão egoísta ao ponto de ao menos imaginar que já que eu não posso, alguém está fazendo algo em pról da humanidade… Ou está vivendo… Não sei se o mundo vai acabar e nem quero… Não sei quanto tempo nos resta e nem quero… Só sei que o tempo está voando e não estamos conseguindo segurá-lo… Acho que a maioria das pessoas gostaria que o dia tivesse 25 horas pelo simples fato de que ele não tem mais 24 horas… É tanta correria, tanta coisa pra fazer… tanto menos pra se viver… ou mais pra se adquirir… O tempo não pára. Não pára pra mim. Não pára pra você. E não vai parar pra ninguém… E ninguém quer que páre, só quer que ande mais devagar pra curtir os momentos que essa vida tão linda e maravilhosa tem pra nos oferecer ou que temos pra oferecer pra ela. Afinal, a vida é uma dádiva que Deus nos deu, mas será que damos à nossa vida o que ela merece? Pensemos nisso!

Lembrei-me de 4 frases que levo como lição de vida, duas eu li em algum lugar, mas não lembro quem escreveu, mas deve ter sido alguém que com certeza pensava como eu:

“O dia de amanhã ninguém usou, pode ser seu.”

“O futuro chega com tanta rapidez que neste exato momento começo a achar que está logo atrás de mim.”

“Nunca faça com os outros o que você não gostaria que fizessem com você.” (Frase dita pelos meus pais all the time)

“O que importa é o que você vai fazer com o tempo que lhe é dado.” (Gandalf em O Senhor dos Anéis)

Bjs  e até a próxima.

Published in: on 05/05/2009 at 16:47  Comments (5)  
Tags: , ,

Jeff Dunham – Achmed o terrorista morto

Achmed - The dead terrorist

Achmed - The dead terrorist

Achmed – O terrorista morto é um boneco de marionete de um ventríloquo americano chamado Jeff Dunham e ele faz o maior sucesso nas terras do Tio Sam… Achmed é muçulmano e ex homem bomba… Sim, ele explodiu… mas não admite isso… No fundo o humor que Jeff faz é meio negro mas mesmo assim ele envolve toda a platéia no espetáculo e são risos do começo ao fim. Infelizmente ainda não esteve em terras tupiniquins, mas não perco minha esperança de um dia ir a algum espetáculo dele e voltar pra casa com dor de barriga de tanto rir… Existem 2 dvd’s disponíveis dos espetáculos de Jeff Dunham, Arguing with myself e Spark of insanity. Jeff possui além de Achmed, o Peanut um wozzle roxinho com cabelinhos verde-limão que vive brigando com o Jose Jalapeño (on a stick) que é uma pimenta mexicana com sotaque espanhol (on a stick), Walter um senhor chato e mal humorado que tem até candidatura para presidente dos Estados Unidos e Melvin o super-herói. Esses são os mais famosos, mas ainda tem o Bubba J e o Sweet Daddy D… Sou apaixonada pelo trabalho do Jeff e sempre vou estar postando aqui os vídeos dele pra que mais pessoas o conheçam… Quem quiser saber mais entra lá no site… Vou começar com um vídeo de apresentação do Achmed… Pra animar o fim de semana. Bom divertimento!

Bjs e até a próxima.

Published in: on 21/03/2009 at 18:02  Comments (1)  
Tags: ,

Wow parte 2 – Tryshia

Azeroth, um mundo diferente do que vivemos… Diferente, porém não muito. Diferente por ser fantástico, com criaturas mágicas e poderes sobrenaturais. Igual, por que lá, também existem disputas de classes, de facções e acima de tudo existe a disputa pela sobrevivência. Sobrevivência essa, mantida por grandes heróis das duas maiores facções de Azeroth: a Horda e a Aliança. Mas é entre as pessoas comuns em meio a fuga dos gnomos de Gnomeregan, sua terra natal, para Ironforge, que nasce Tryshia. Mas não é entre as pessoas comuns que está o seu futuro, mas sim entre os grandes heróis desse mundo. Criada em Anvilmar, desde pequena ouvia os rumores da guerra, e sempre imaginava que um dia seria ela quem estaria à frente na batalha. Muitos foram contra sua decisão, por ela ser pequena, muito mais pequena que os anões de Dun Morogh e pensavam que ela seria por demais sensível e que não chegaria ao seu objetivo. Mas Tryshia era persistente e no seu sangue corria a força dos gnomos. O começo não foi fácil, como nenhum começo é. Por várias vezes teve que deixar sua família para trás, afinal um guerreiro não se constrói ficando em casa sem correr nenhum risco. E foi lá que ela encontrou um tutor e aprendeu a arte da guerra através do habilidoso manuseio de armas e enfim pode se tornar uma warrior, uma guerreira de Ironforge. No meio de tantas batalhas, sempre que possível, ela retornava cansada à sua querida Ironforge, para manter suas habilidades e rever seus entes queridos. Ela não imaginava quantas batalhas teria pela frente, quantos monstros imensos e maquiavélicos sedentos por sangue teria que enfrentar, quantas vezes teria que implorar ao Healer Spirit mais uma chance. No meio destas batalhas por várias vezes teve que lutar contra os seres que assim como ela estavam apenas tentando sobreviver e atingir seus objetivos, que muito provavelmente não eram os mesmos que os dela. Sempre na companhia de Dundragon, um night elfo druída que antes era apenas seu melhor amigo, com os mesmos objetivos, que tantas vezes perdeu sua vida para salvar a de Tryshia, e com ela não foi diferente. Havia um pacto entre eles que nada nem ninguém iria quebrar, uma confiança que só existe entre aqueles seres que são tão mágicos que não se importam em doar sua vida para ajudar seu semelhante. Com tanta convivência, aconteceu o inevitável, eles se apaixonaram. Um amor que nem a mudança para Outland, nem as instâncias em que se deparava com undeads assombrados em Scholomance e Stratholme feitas com a amiga Monna, uma death Knight que também é tank pôde separar. Nem a solidão que ela sentia em Lower Blackrock Spire, nem nos momentos em que se via rodeada de monstros, escorpiões e golens de pedra em Uldaman, e pensava que não seria capaz, em nenhum momento cogitou a possibilidade de desistir, afinal ela era uma guerreira e ainda o é. As coisas não mudaram muito desde o começo, em Ironforge. Pelo contrário, nos dias de hoje, as batalhas são mais ferrenhas, os monstros ainda mais terríveis, e as chances de sobrevivência ainda mais precárias. Nem toda a experiência obtida, nem toda a armor adquirida são capazes de facilitar a passagem de level, nem mesmo as batalhas já previstas e tantos golds adquiridos com o sonho de conseguir sua montaria voadora. Não, não, ela jamais irá abandonar sua gazela albina, amiga de tantas jornadas, nem os amigos que fez pelo caminho, e muito menos aqueles que de alguma forma atrapalharam a busca pelo seus objetivos, aqueles que um dia serão vingados… Porém todas essas dificuldades são apenas um treinamento para estar entre os heróis que salvarão Azeroth de sua mais mortal ameaça, The Lich King, Arthas. E desta grande batalha tirar de suas mãos amaldiçoadas a tão sonhada espada Frostmourne, destruir sua maldição e empunhá-la em prol de Azeroth e da Aliança e de todos que de alguma forma estiveram e estarão presentes na sua trajetória… Pelo menos enquanto nenhuma nova ameaça surgir para Azeroth e seus habitantes.

Mapa da querida Ironforge

Mapa da querida Ironforge

Minha pequena guerreira Tryshia, level 63

Minha pequena guerreira Tryshia, level 63

Lich King, Arthas e a tão sonhada e amaldiçoada Frostmourne

Lich King, Arthas e a tão sonhada e amaldiçoada Frostmourne

Agradecimentos especiais ao meu digníssimo Dundragon, meu lindo Tiego, que me auxiliou nas informações que por ventura eu havia esquecido. Obrigada amor…

Published in: on 16/03/2009 at 15:40  Comments (3)  
Tags: ,